Destaque

Missão

O LEMP resulta da convicção de que o estudo da história deve ser conduzido por métodos científicos. Por isso, constitui um meio de iniciação e/ou aprofundamento no campo científico, e não um simples grupo de estudos. O LEMP assume, também, os objetivos estratégicos do Instituto de História para a área de pesquisa:

A atuação dos Laboratórios e Programas no Instituto de História (…) se coaduna perfeitamente com alguns pontos ressaltados pela Proposta de Diretrizes Curriculares do Curso de Graduação de História, elaborada pela ANPUH (Associação Nacional de História) e pela Comissão de Especialistas nomeada pelo MEC-SESu em 1998, quais sejam:

Capacitar o graduado ao exercício do trabalho de historiador, em todas as suas dimensões, o que supõe pleno domínio da natureza do conhecimento histórico e das práticas esenciais de sua produção e difusão;
Suprir as crescentes demandas sociais relativas ao campo do conhecimento histórico;
Formar um profissional de História fundamentado no exercício da pesquisa pois a formação do docente não pode ser compreendida sem o desenvolvimento de sua capacidade de produzir conhecimento.
A área temática geral do LEMP é a relação das Forças Armadas com processos políticos em qualquer tempo e lugar. Dentro desta área, o LEMP privilegia o estudo do Estado, instituição que os militares integram e que é analisada no plano teórico e no processo histórico brasileiro.

Objetivos específicos
Introduzir o aluno de graduação no universo da pesquisa científica;
Proporcionar ao aluno de graduação e pós-graduação treinamento na elaboração de projeto de pesquisa na área temática;
Proporcionar ao aluno de graduação e pós-graduação treinamento teórico-metodológico e de pesquisa com fontes primárias e secundárias na área temática;
Proporcionar ao aluno de graduação e pós-graduação a oportunidade de se inserir ativamente no processo de pesquisa conduzido pelo professor responsável.
Dinâmica
Para ingressar no LEMP, o aluno de graduação deverá satisfazer a duas condições já consagradas no campo da iniciação científica: estar, pelo menos, no terceiro período do curso e apresentar Coeficiente de Rendimento Acumulado (CRA) igual ou superior a 7 (sete). As condções gerais de participação estão definidas em documento específico, disponível na página do LEMP na Internet.

As atividades do graduando no LEMP consistem, basicamente, na participação nas diversas etapas do processo de pesquisa. O aluno desenvolve investigação em torno de um tópico ligado à área temática do LEMP, para o que deve elaborar um projeto de pesquisa. A cada etapa do roteiro de pesquisa cumprida, o resultado é apresentado para discussão no LEMP e, quando viável, em eventos de iniciação científica, seminários, congressos etc.

Simultaneamente, são trabalhados textos teóricos, metodológicos e historiográficos relacionados com o campo temático do LEMP. Tais atividades estão abertas a estudantes e profissionais de outras instituições que queiram se vincular de alguma maneira ao LEMP.

O aluno de pós-graduação se integra ao LEMP participando das discussões de textos e pesquisas e do planejamento das atividades e colaborando com a coordenação no trabalho de orientação dos graduandos. Assim como estes, participa de seminários, congressos e outros eventos de socialização científica dentro da área temática do LEMP.

Links Pertinentes

Academia Nacional de Estudios Políticos y Estratégicos (ANEPE)
https://www.anepe.cl/

Centro de Estudios Estratégicos – Universidad ARCIS
INEXISTENTE

Armed Forces Staff College (National Defense University)
INEXISTENTE (o site se tornou American Friends Service Committee)

Arquivo Histórico do Exército
INEXISTENTE

Canadian Institute of Strategic Studies – CISS
http://www.ciss.ca/index.html

Centre for Defence and Security Studies – CDSS (University College, University of Manitoba)
http://umanitoba.ca/centres/cdss/

Centre d’études des politiques étrangères et de sécurité – CEPES (University of Quebec at Montreal)
INEXISTENTE

Center for Civil-Military Relations
https://my.nps.edu/web/ccmr

Center for Defense Information
https://www.pogo.org/center-for-defense-information/

Center for Global Security Research – CGRS
https://cgsr.llnl.gov/

Center for Hemispheric Defense Studies – CHDS
INEXISTENTE

Centre for Security and Defence Studies (The Norman Paterson School of International Affairs – Carleton University)
INEXISTENTE

Peace and Conflict Studies (University College – University of Toronto)
INEXISTENTE

Royal Military College
https://www.rmc-cmr.ca/en

York Centre for International and Security Studies (York University)
http://research.info.yorku.ca/

Centro de Altos Estudios Nacionales (CALEN)
http://www.calen.gub.uy/

Instituto Iberoamericano de Analisis del Conflicto (ILACON)
INEXISTENTE

Observatorio Cono Sur de Defensa y FFAA
INEXISTENTE

Centro de Documentação da Marinha
INEXISTENTE

Centro de Documentação do Exército
INEXISTENTE

Centro de Gestión y Estudios Estratégicos
INEXISTENTE

Grupo de Estudos da Defesa e Segurança Internacional (GEDES) – CELA, UNESP (Centro de Estudos Latino-Americanos, Universidade Estadual Paulista)
Site oficial da unesp (?) https://www2.unesp.br/

Engels’ Military Writings
https://www.marxists.org/archive/marx/works/subject/war/index.htm

Escola de Guerra Naval (EGN)
https://www.marinha.mil.br/egn/index.php

Escola Superior de Guerra (ESG)
https://www.esg.br/

Escuela de Defensa Nacional – Ministerio de Defensa Nacional
INEXISTENTE

Escuela de Guerra Naval – Armada Argentina
https://www.esgn.edu.ar/

Instituto de Estudios Políticos y Estratégicos (IDEPE)
INEXISTENTE (domínio expirado)

Instituto de Estudios Geoestratégicos – Universidad Militar “Nueva Granada”
http://www.umng.edu.co/inicio

Centro de Estudios de Información de la Defensa (CEID)
INEXISTENTE

Inter-University Seminar on Armed Forces and Society
INEXISTENTE

Journal for Military and Strategic Studies
INEXISTENTE

National War College (National Defense Institute)
INEXISTENTE

Núcleo de Estudos Estratégicos – NEE (Universidade Estadual de Campinas)
INEXISTENTE

Observatorio de Democracia y Seguridad (ODyS)
INEXISTENTE

Programa de Investigación Estratégica en Bolívia
http://www.pieb.org/

Portal Militar.Com.Br (Não oficial)
http://www.militar.com.br/

RESDAL – Red de Seguridad y Defensa de America Latina
https://www.resdal.org/

The National Security Archive (The Gelman Library – George Washington University
INEXISTENTE

U.S. Army War College
INEXISTENTE

Agenda de Eventos

4 de setembro de 2007
Palestra da professora Adriana Barreto (UFRRJ), sobre “Caxias e a cultura política”, às 14:30 h, IFCS, sala Celso Lemos (3o. andar).

16 de maio de 2007
Palestra do professor João Roberto Martins Filho (UFSCar), presidente da Associação Brasileira de Estudos sobre Defesa (ABED), sobre “A Marinha brasileira e a revolução tecnológica naval, 1905-1910”, às 14:00 h, na sala José Luiz Werneck da Silva do Programa de Pós-Graduação em História Social (PPGHIS) da UFRJ.

10 de abril de 2007
Palestra do Professor Paulo Cunha (UNESP), sobre a “Esquerda militar no Brasil”, e do Comandante Francisco Carlos Pereira Cascardo, sobre o “Tenentismo na Marinha”, às 14:30 h, na sala 206 do IFCS/UFRJ.

1 – 18 de agosto de 2006
Participação no XII Encontro Regional de História da ANPUH-RJ: coordenação do Simpósio Temático “Forças Armadas e política: continuidades e mudanças” e apresentação de comunicações e painéis de Iniciação Científica.

8 de agosto de 2006
Primeira reunião do período 2006/2.

18 de maio de 2006
Defesa da dissertação de mestrado de Leandro Miranda Malavota intitulada “Patentes, marcas e transferência de tecnologia durante o regime militar: um estudo sobre a atuação do Instituto Nacional da Propriedade Industrial (1970-1985)” na sala do PPGHIS às 14:00h.

25 de abril de 2006
Palestra do professor Fernando Rosas (Universidade Nova de Lisboa) sobre a “Revolução dos Cravos”, com comentários do professor Valério Arcary (CEFET-SP).

27 de outubro de 2005
Sessão de discussão dos textos de Antônio Gramsci. “Observaciones sobre algunos aspectos de la estrutuctura de los partidos políticos en los períodos de crisis orgánica” e “El cesarismo”, In: __. Notas sobre Maquiavelo, sobre la política y sobre el Estado moderno. Buenos Aires: Nueva Visión, 1972, pp. 62-75.

26 de outubro de 2005
Palestra do Prof. Francisco Ferraz: “Segunda Guerra Mundial, militares e política”, sala 203, 10h.

20 de setembro de 2005
Palestra do Prof. Adriano N. Codato (UFRP): “Mecanismos Decisórios em Política Econômica Durante a Ditadura Militar”. IFCS/PPGHIS, sala José Luiz Werneck da Silva, 14:30 h.

30 de novembro de 2004
Palestra do Prof. Hendrik Kraay (Universidade de Calgary): “Uma passagem pelo sexto andar do Palácio Duque de Caxias: perspectivas sobre a História Militar do Brasil”. IFCS, sala 206, 14:30 h.

14 de novembro de 2004
Apresentação do Arquivo Histórico do Exército pelos pesquisadores Alcemar Ferreira e Fernando Silva. IFCS, sala 206, 14:30 h.

26 de outubro de 2004
Palestra do Prof. Vitor Izecksohn (UFRJ): “O problema do recrutamento na Guerra do Paraguai – o caso da província do Rio de Janeiro”. IFCS, sala 206, 14,30 h.

Produção do Prof. Renato Lemos

Monografias concluídas ligadas ao LEMP

ARAÚJO, Fernanda da Costa Monteiro. Um legalista no Superior Tribunal Militar (STM):o caso do general Peri Constant Bevilaqua (1965-1969), Graduação em história, IFCS-UFRJ, 2006.

BRASIL, Rafael do Nascimento Souza. Sob o lábaro fardado: o nacionalismo militar nas páginas da imprensa civil – O Semanário (1961-1964), Graduação em história, IFCS-UFRJ, 2006.

FARIAS, Danielle Fernandes. Anti-semitismo no Exército brasileiro (1935-1937), Graduação em história, IFCS-UFRJ, 2006.

GONÇALVES, Martina Spohr. A relação civil-militar no golpe de 1964: o caso de Aliomar Baleeiro, Graduação em história, IFCS-UFRJ 2006.

REIS, Márcio Roberto Coelho dos. Ditadura militar e o ensino superior no Brasil, Graduação em história, IFCS-UFRJ, J2005.

RODRIGUES Marcos Pires. Do EMFA ao STM: breve estudo da trajetória política do general Pery Constant Bevilaqua (1963-1965), Graduação em história, IFCS-UFRJ, 2005.

BAHIENSE, Daniel de Albuquerque. A crise dos anos 60 e o golpe militar no Brasil: um balanço historiográfico. Graduação em história. IFCS-UFRJ, 2004.

DEMIER, Felipe Abranches. Soldados x operários: o general Peri Constant Bevilaqua no comando do II Exército em São Paulo (1962-1963). Graduação em história. IFCS-UFRJ, 2004.

OLIVEIRA, Carolina Salgueiro de. Igreja católica e ditadura militar: tentando resolver impasses. Graduação em história. IFCS-UFRJ, 2004.

RIBEIRO, Denise Felipe. Eu que pertenço ao partido dos gorilas: perfil político de Hernani d’Aguiar. Graduação em história. IFCS-UFRJ, 2004.

WERNER, Bruno Loureiro. Pra frente, Brasil: futebol e política no início do governo Médici (1969-1970). Graduação em história. IFCS-UFRJ, 2004.

MACHADO, Flávia Burlamaqui. O I Congresso Nacional dos Movimentos pela Anistia e os rumos da abertura no Brasil (1978). Graduação em história. IFCS-UFRJ, 2003.

REIS, Eduardo Queiroz. O fim da crise hegemônica da Era Vargas: o general Góis Monteiro e o golpe de 29 de outubro de 1945. Graduação em história. IFCS-UFRJ, 2002.

COUTINHO NETO, José. Acordes dissonantes: censura à MPB nos anos de chumbo (1969-1974). Graduação em história. IFCS-UFRJ, 2001.

SANTOS FILHO, Carlos Alberto. As Forças Armadas e a institucionalização do seu papel na sociedade brasileira, 1964-1974. Graduação em história. IFCS-UFRJ, 2001.

GAMA, Maurice de Sousa. Guerrilheiros do Brasil e a ilusão da revolução: um estudo da oposição armada ao regime militar (1964-1974). Graduação em história. IFCS-UFRJ, 2001.

SILVA, Gilmarta Dias e. A inserção da disciplina de Educação Moral e Cívica no contexto da ditadura militar brasileira. Graduação em história. IFCS-UFRJ, 2000.

VASCONCELOS, Cláudio Beserra de. Nas entrelinhas do Diário: o papel da imprensa na construção de um ideário anti-João Goulart (1961-1964). Graduação em história, 2000.

Publicações e Comunicações

Livros ligados ao LEMP

LEMOS, Renato (Organização, introdução e notas). Justiça fardada. O general Peri Bevilaqua no Superior Tribunal Militar (1965-1969). Rio de Janeiro: Bom Texto, 2004. 367 p.

LEMOS, Renato. Benjamin Constant – vida e história. Rio de Janeiro: Topbooks, 1999. 572 p.

LEMOS, Renato (Transcrição, organização e introdução). Cartas da Guerra – Benjamin Constant na Campanha do Paraguai. Rio de Janeiro: IPHAN / Museu Casa de Benjamin Constant, 1999. 220 p.

MONTEIRO, Goes. A Revolução de 30 e a finalidade política do Exército. Rio de Janeiro. Andersen – Editores.

Nota: Este livro está disponibilizado em arquivo do tipo PDF. Entretanto, em virtude de seu tamanho, não pode ser posto para download. Se você estiver interessado nos escreva e o enviaremos via e-mail.
Atenciosamente.

Capítulos de livros ligados ao LEMP

LEMOS, Renato Luís do Couto Neto e. A Justiça Militar na República. In: CASTRO, Celso e D’ARAÚJO, Maria Celina (Coords.). 200 anos de Justiça Militar. Rio de Janeiro: Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil, 2007, pp. 74-106.

LEMOS, Renato Luís do Couto Neto e.”Benjamin Constant and the ‘Truth’ behind the Paraguayan War”. In: KRAAY, Hendrik & WHIGHAM, Thomas L. (Eds.). I Die with My Country. Perspectives on the Paraguayan War, 1864-1870. Nebraska: University of Nebraska Press, pp. 81-104.

LEMOS, Renato Luís do Couto Neto e.”Poder Judiciário e poder militar (1964-1969)”. In: CASTRO, Celso & KRAAY, Hendrik & IZECKSOHN, Vítor (Orgs.). A nova história militar brasileira. Rio de Janeiro: Editora da Fundação Getúlio Vargas; Bom Texto, pp. 409-438.

Artigos ligados ao LEMP

DEMIER, Felipe Abranches. “A ‘legalidade’ do Golpe: o controle dos trabalhadores como condição para o respeito às leis”, História e luta de classes, Rio de Janeiro, nº 1, abril de 2005, pp. 29-42.

LEMOS, Renato. “Por inspiração de Dona Tiburtina: o general Peri Bevilaqua no Superior Tribunal Militar”, Locus: Revista de História, Juiz de Fora, v. 9, n. 1, 2003, pp. 113-124.

LEMOS, Renato. “Anistia e crise política no Brasil pós-64”, Topoi. Revista de História, Rio de Janeiro: Programa de Pós-Graduação em História Social da UFRJ; 7 Letras, n. 5, setembro de 2002, pp. 287-313.

Comunicações em congressos, seminários e outros eventos ligadas ao LEMP

ANPUH XXIII Simpósio Nacional: Guerra e Paz (Londrina, 17-22 de julho de 2005)
Seminário Temático “Militares, política e sociedade”, co-coordenador: Renato Lemos

Comunicações:
CARDOSO, Rachel Motta. “A esquerda militar e a Crise da Legalidade.”

DEMIER, Felipe Abranches. “A ‘legalidade do golpe’: o controle dos trabalhadores como condição para o respeito às leis.”

FERREIRA JÚNIOR, Alcemar. “Fênix Imperial: o Exército nas décadas de 1850 e 1860.”

LEMOS, Renato. “Poder militar, violência repressiva e anistia política.”

LIMA, Eduardo de Oliveira. “Introdução ao estudo de um projeto de ‘democracia autoritária’.”

MALAVOTA, Leandro Miranda. “O INPI e a transferência de tecnologia: uma análise das políticas de controle sobre as contratações tecnológicas durante o regime militar brasileiro”

RIBEIRO, Denise Felipe. “Forças Armadas e política: a importância da origem social e do processo de socialização profissional militar na tomada de decisões políticas”.

RODRIGUES, Fernando da Silva. “Rondon e o processo civilizador do sertão centro-oeste e norte brasileiro.”

RODRIGUES, Rogério Rosa. “Da politicagem à política: a intervenção do Exército brasileiro na guerra do Contestado.”

SANTOS, Renata Valéria dos. “O Real Arquivo Militar: algumas questões sobre a produção cartográfica na primeira metade do século XIX.”

SILVA, Angela Moreira Domingues da. “Ditadura militar e repressão legal: a pena de morte rediviva e o caso de Theodomiro Romeiro dos Santos (1969-1971)”

Painéis de iniciação científica:
ARAÚJO, Fernanda da Costa Monteiro. “O Superior Tribunal Militar (STM) nas páginas de O Estado de São Paulo (1964-1968) “.

BRASIL, Rafael do Nascimento Sousa. “O pensamento político dos militares nas páginas da imprensa civil: O Semanário.”

D’ASSUMPÇÃO, Iama Kete Arruda. “O nacionalismo militar nas páginas da imprensa civil: O Panfleto (1964).”

MAGALHÃES, Viviane de Fátima. “Mário Henrique Simonsen: um tecnocrata no poder.”

MELO, Demian Bezerra de. “A miséria da historiografia: o sentido atual do revisionismo historiográfico sobre o golpe de 1964”.

MELO, Luís Carlos de. “O pensamento político dos militares na imprensa castrense: a Revista do Clube Militar.”

LEMOS, Renato. “Justiça Militar e processo político no Brasil, 1964-1968”. Seminário 40 anos do golpe militar: 1964-2004. Fundação Getúlio Vargas/CPDOC, Universidade Federal do Rio de Janeiro/IFCS, Arquivo Público do Estado do Rio de Janeiro, Universidade Federal Fluminense, Rio de Janeiro, março de 2004.

LEMOS, Renato. “Por inspiração de Dona Tiburtina: o general Pery Bevilaqua e a luta política no Superior Tribunal Militar”, Livro de Resumos do XXI Simpósio Nacional da Associação Nacional de História (ANPUH), Universidade Federal Fluminense (UFF), Niterói (RJ), julho de 2001, p. 267-268.

LEMOS, Renato. “Por inspiração de dona Tiburtina: o general Pery Bevilaqua e a luta política no Superior Tribunal Militar”. XXI Simpósio Nacional da Associação Nacional de História (ANPUH), Niterói (RJ), julho de 2001.

LEMOS, Renato. “O habeas-corpus como fonte para o estudo da história política do Brasil contemporâneo (1965-1969)”. IX Simpósio Regional da Associação Nacional de História (ANPUH) – Núcleo Rio de Janeiro, Niterói (RJ), outubro de 2000.

Edições anteriores da Revista Militares e Política

01 – julho a dezembro de 2007

02 – janeiro a junho de 2008

03 – julho a dezembro de 2008

04 – janeiro a junho de 2009

05 – julho a dezembro de 2009

06 – janeiro a junho de 2010

07 – julho a dezembro de 2010

08 – janeiro a junho de 2011

09 – julho a dezembro de 2011

Revista Militares e Política

2015

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO DE JANEIRO
Reitor: Carlos Antônio Levi da Conceição
Vice-Reitor: Antônio José Ledo Alves da Cunha


CENTRO DE FILOSOFIA E CIÊNCIAS HUMANAS
Decano: Marcelo Macedo Corrêa e Castro
Superintendente Administrativo: Maria Goreti Mello


INSTITUTO DE DE HISTÓRIA
Diretor: Fábio de Souza Lessa
Vice-Diretor: Norma Côrtes


LABORATÓRIO DE ESTUDOS SOBRE MILITARES NA POLÍTICA
Responsável: Renato Luís do Couto Neto e Lemos


MILITARES E POLÍTICA
Número 9 – julho a dezembro de 2011 – ISSN 1982-6834


CONSELHO EDITORIAL
Adriana Barreto de Souza – Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro
Adriano Nervo Codato – Universidade Federal do Paraná
Álvaro Pereira do Nascimento – Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro
Celso Castro – Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil/FGV
Christiane Figueiredo Pagano de Mello – Universidade Federal de Tocantins
Eliézer Rizzo de Oliveira – Núcleo de Estudos Estratégicos/Universidade Estadual de Campinas
Francisco César Ferraz – Universidade Estadual de Londrina
Frank McCann – University of New Hampshire
Hendrik Kraay – University of Calgary
João Roberto Martins Filho – Universidade Federal de São Carlos
José Murilo de Carvalho – Universidade Federal do Rio de Janeiro
Manuel Domingos Neto – Universidade Federal do Ceará
Paulo Ribeiro da Cunha – Universidade Estadual Paulista
Peter M. Beattie – Michigan State University
Renato Luís do Couto Neto e Lemos – LEMP/Universidade Federal do Rio de Janeiro


COMITÊ EDITORIAL
Renato Luís do Couto Neto e Lemos (LEMP/UFRJ) – Editor
Cláudio Beserra de Vasconcelos (doutorando PPGHIS/LEMP/UFRJ) – Subeditor
Rachel Motta Cardoso (doutoranda PPGHCS/COC/FIOCRUZ/LEMP/UFRJ) – Secretária
DIAGRAMAÇÃO E PROJETO GRÁFICO
Cláudio Beserra de Vasconcelos
EDITORAÇÃO, DESIGN GRÁFICO e MANUTENÇÃO WEB – Silky Web
Endereço para correspondência:
Comitê Editorial
Largo do São Francisco de Paula, 01 – sala 206 – Centro
Rio de Janeiro/ RJ – CEP: 20051-070
Tel.: 55 21 2201-3141 r. 208
http://www.lemp.historia.ufrj.br e http://www.lemp.historia.ufrj.br/revista
e-mail: lemp@ifcs.ufrj.br

FICHA CATALOGRÁFICA

Militares e Política / Laboratório de Estudos Sobre Militares na Política / Departamento de História. Centro de Filosofia e Ciências Humanas. Instituto de História. Universidade Federal do Rio de Janeiro. n. 1 (2007). Rio de Janeiro: IFCS / UFRJ, 2007-
Semestral
ISSN 1982-6834

  1. História I. Universidade Federal do Rio de Janeiro. Centro de Filosofia e Ciências Humanas. Instituto de História. Laboratório de Estudos Sobre Militares na Política.
PROPOSTA EDITORIAL

Militares e Política é a revista eletrônica semestral do Laboratório de Estudos sobre Militares na Política (LEMP) da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ). O LEMP existe desde 1998 e reúne estudantes universitários de todos os níveis, professores e pesquisadores dedicados ao campo temático constituído pela presença dos militares na política, sem delimitação de espaço ou tempo.
O principal objetivo de Militares e Política é colaborar com a divulgação e discussão de materiais produzidos no campo acadêmico-científico em torno das relações militares-política. Por isso, adota uma postura pluralista, repercutindo o debate em todas as disciplinas – antropologia, ciência política, economia, história, sociologia etc. – e sob todos os enfoques analíticos.
O material publicado por Militares e Política se enquadra nas seguintes categorias: Artigos, Resenhas, Notas de pesquisa, Informes sobre fontes, acervos, dissertações e teses defendidas e Anúncios de eventos acadêmico-científicos. Eventualmente, são publicados, também, dossiês e entrevistas. Há, permanentemente, um espaço para informações sobre atividades do LEMP.
Militares e Política é editada por um Comitê Editorial, constituído por três membros do LEMP, que se responsabilizam pela produção e gerência da revista, bem como, sempre que necessário, por decisões executivas sobre assuntos editoriais. O Comitê Editorial é assessorado por um Conselho Editorial, integrado por professores e pesquisadores dedicados ao campo das relações militares-política. São funções do Conselho Editorial emitir pareceres sobre materiais enviados à revista para publicação, quando a isso solicitados, e auxiliar o LEMP na avaliação permanente revista.
Os artigos publicados em Militares e Política não expressam necessariamente as posições da revista. Os autores são responsáveis individualmente por suas opiniões.

NORMAS PARA PUBLICAÇÃO

Todo material deverá ser enviado ao Comitê Editorial (lemp@historia.ufrj.br) em arquivo compatível com o padrão MS Word para Windows, ou padrão de arquivo OpenDocument (StarOffice, OpenOffice, BrOffice) anexado à mensagem eletrônica.
Os artigos deverão ser inéditos – apenas excepcionalmente será considerada pelo Comitê Editorial a possibilidade de republicação –, redigidos em português ou espanhol, em fonte Times New Roman, tamanho 12, alinhamento justificado, com tabulação (1,25 cm) no início dos parágrafos, 1,5 entre as linhas e espaçamento 6 entre os parágrafos, total de caracteres entre 30 e 40 mil, com espaços, e página configurada como A4.
Os artigos devem conter:
a identificação do(s) autor(es) sob o título e, em nota de rodapé, sua titulação, vinculação institucional e, quando houver, título da(s) publicação(ões) mais recente(s), no limite máximo de três menções;
o endereço eletrônico do autor;
um resumo de no máximo 250 (duzentas e cinqüenta) palavras e um abstract em inglês de igual tamanho;
três (3) palavras-chaves em português e inglês.
quando se tratar de material elaborado sob orientação, o nome e titulação do orientador.
indicação da instituição que houver prestado apoio financeiro ou institucional à pesquisa de que tiver resultado o artigo, quando for o caso.
As notas devem ser colocadas no fim do texto.
As menções a obras devem ser feitas no corpo do texto, entre parênteses, no seguinte formato: (SOBRENOME, Ano: Página).
Ex: (VERÍSSIMO, 1955: 22)
Da bibliografia devem constar apenas as obras efetivamente utilizadas. As referências bibliográficas deverão ser apresentadas em lista no final do artigo e em ordem alfabética por autor, conforme as normas da ABNT, Ex:
Citação de Livros:
SOBRENOME, Nome. Título do livro em itálico. Edição. Cidade, Editora, ano, p. ou pp.
Citação de artigos de revistas ou capítulos de livros:
SOBRENOME, Nome. “Título do Artigo” In Título do Periódico em itálico. Cidade, Editora, Ano, Vol., nº, p. ou pp.
O artigo recebido pela revista será examinado primeiramente pelo Comitê Editorial, que verificará o seu enquadramento nas “Normas para publicação”. Caso o resultado do exame seja positivo, o material será remetido a dois pareceristas ad hoc, que poderão, ou não, ser membros do Conselho Editorial. Caso os pareceristas divirjam quanto à conveniência da publicação com base em argumentos relativos à qualidade do material, um terceiro será consultado para desempate.
A análise do material enviado para publicação como artigo verificará se o mesmo:
é adequado ao perfil de Militares e Política;
está estruturado em torno de uma problemática formulada com clareza;
contribui para o avanço da reflexão acadêmico-científica acerca da temática militares-política;
está organizado e apresentado de acordo com as normas vigentes no campo acadêmico-científico.
está redigido de forma adequada.
Será, sempre, garantido o anonimato de autores e pareceristas. Estes, contudo, poderão autorizar o Comitê Editorial a revelar suas identidades a autores.
Os materiais enquadrados nas demais categorias ficarão sob a responsabilidade executiva do Comitê Editorial, que decidirá sobre a sua adequação ao perfil da revista e a conveniência da publicação, de acordo com o planejamento editorial.
As Resenhas deverão contemplar livros ou artigos de interesse para o campo temático, não necessariamente inéditos, e incluir a apreciação historiográfica da obra, isto é, o seu enquadramento na literatura sobre o tema. Devem ter entre 7 mil e 10 mil caracteres, em Times New Roman 12.
As Notas de pesquisa, Informações sobre fontes, acervos, dissertações e teses defendidas e Anúncios de eventos acadêmico-científicos devem ser apresentados em Times New Roman 12, num máximo de 2,5 mil caracteres.
O Comitê Editorial se reserva o direito de efetuar pequenas alterações formais em qualquer material para adequá-lo ao perfil da revista. A publicação de material de qualquer categoria será feita de acordo com o planejamento editorial.
O envio de material para publicação em Militares e Política significa, implicitamente, que o autor aceita as normas editoriais da revista. A publicação de qualquer material faz reverter para a Militares e Política os direitos autorais sobre os mesmos.

Programa de Estudos Anteriores

2012/1

Universidade Federal do Rio de Janeiro
Instituto de História
Disciplina: “História do Brasil Contemporâneo” – noturno – 2012/1
Prof.: Renato Lemos

Ementa: a proposta deste curso é discutir alguns dos traços fundamentais do processo histórico brasileiro pós-1945. Objetiva-se sumariar as principais mudanças operadas na sociedade a partir desse marco e examinar as questões políticas, sociais, econômicas e ideológicas em jogo nesse momento da história nacional.
Verificação: os alunos farão uma ao final da unidade III e outra ao final da Unidade V. A nota final será obtida pela média das notas obtidas nos dois exercícios.
Freqüência: a ausência a mais de 25% (isto é, 16 aulas, sendo cada dia = 4 aulas) das aulas implica reprovação; serão examinados os casos motivados por doença ou necessidade de trabalho, desde que as faltas não tenham inviabilizado o aproveitamento do aluno.

PROGRAMA

I – O Brasil no quadro internacional do pós-guerra
AYERBE, Luís Fernando. Estados Unidos e América Latina. A construção da hegemonia. São Paulo: Editora UNESP, 2002. pp. 63-148. Disponível em: Domínio Público
BERCITO, Sônia de Deus Rodrigues. O Brasil na década de 1940. Autoritarismo e democracia. São Paulo: Ática, 1999.
ALVES, Maria Helena Moreira. Estado e Oposição no Brasil (1964-1984). 4. ed. Rio de Janeiro: Vozes, 1987. Introdução (pp. 19-30).

II – Processo de industrialização (1930-1978)
SINGER, Paul. “Interpretação do Brasil: uma experiência e histórica de desenvolvimento”. In: FAUSTO, Boris (dir.) História Geral da Civilização Brasileira. III. O Brasil Republicano. 4. Economia e cultura (1930-1964). São Paulo: DIFEL, 1984, pp. 209-245.
MENDONÇA, Sônia R. de. Estado e Economia no Brasil: opções de desenvolvimento. Rio de Janeiro: Graal, 1987. pp. 13-68.

III – Trabalhadores e política (1930-1964)
MATOS, Marcelo Badaró. Trabalhadores e sindicatos no Brasil. São Paulo: Expressão Popular, 2009, pp. 61-115.
WEFFORT, Francisco. “O populismo na política brasileira”. In: __. O populismo na política brasileira. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1978, pp. 61-78.

IV – Forças armadas e política no Brasil (1945-1964)
MARTINS FILHO, João Roberto. “Forças Armadas e política, 1945-1964: a ante-sala do golpe”. In: FERREIRA, Jorge e DELGADO, Lucília de Almeida Neves (org.) O Brasil republicano. O tempo da experiência democrática. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2003, pp. 97-126.
CARVALHO, José Murilo de. “Vargas e os militares: aprendiz de feiticeiro”. In: __. Forças Armadas e Política no Brasil. Rio de Janeiro: Zahar, 2005, pp. 102-117.

V – Ditadura e modernização capitalista (1964-1988)
CODATO, Adriano Nervo. “Uma história política da transição brasileira: da ditadura à democracia”, Revista Sociologia e Política, Curitiba, n. 25, mov. 2005, pp.83-106. Disponível em: Scielo
STOTZ, E. N. “As faces do moderno Leviatã”. In: MELO, S. A. (Org.). Vinte anos de resistência. Alternativas da cultura no regime militar. Rio de Janeiro: Espaço e tempo, 1986, pp. 13-28.

Indicação bibliográfica geral de apoio
BASBAUM, L. História Sincera da República. 4ª ed. São Paulo: Alfa-Omega, 1975-1976, vols. 3 e 4.
CARONE, E. A República Liberal. 1. Instituições e classes sociais (1945-1964). São Paulo: Difel, 1985.
. A República Liberal. 2. Evolução política (1945-1964). São Paulo: Difel, 1985. FAUSTO, B. (Org.) História Geral da Civilização Brasileira. O Brasil Republicano. São Paulo, DIFEL, 1975-1984, 5 v. FERREIRA, J. e DELGADO, L. de A. N. (Org.). O Brasil Republicano. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2003, v. 3 e 4. IGLÉSIAS, F. Trajetória Política do Brasil. São Paulo: Companhia das Letras, 1995. MARTINS, W. História da Inteligência Brasileira. São Paulo: Cultrix/EDUSP, 1977-1978, vols. VI e VII. PENA, L. de A. Uma História da República. 2a ed. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1999. SILVA, H. Vários volumes, cobrindo o período de 1922 a 1964. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira. SKIDMORE, T. Brasil: de Getúlio a Castelo. Rio de Janeiro: Saga, 1969. . Brasil: de Castelo a Tancredo (1964-1985). 3ª ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1988.

Obras de referência
Termos, conceitos, autores e personagens históricos surgirão como novidades para os alunos, que deverão procurar conhecê-los por meio de consultas a dicionários de português, enciclopédias e outras obras de referência, como:

Dicionário Aulete Digital (língua portuguesa). Em: Caldas Aulete
Dicionário de ciências sociais. 2ª ed. Rio de Janeiro: Fundação Getúlio Vargas, 1987, 2 v.
Dicionário de economia do século XXI. Org. por P. Sandroni. Rio de Janeiro: Record, 2005.
Dicionário de nomes, termos e conceitos históricos, de A. C. do A. Azevedo. 3a. ed. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1999.
Dicionário de política. Org. N. Bobbio e outros. 9ª ed. Brasília: Editora UnB, 1997, 2 v.
Dicionário do pensamento marxista. Org. T. Bottomore. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 1988.
Dicionário do pensamento social do século XX. Ed. W. Outhwaite e T. Bottomore. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 1996.
Dicionário Histórico-Biográfico Brasileiro. Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil (CPDOC) da Fundação Getúlio Vargas. Disponível em Dicionário Histórico-Biográfico Brasileiro

2011/2

2010/2

2010/1

2008

2007